Sobre o Procedimento


Sobre o Procedimento

A angioplastia de carótida é realizada para a desobstrução de artérias, neste caso, da artéria carótida.

É uma cirurgia  minimamente invasiva e sofisticada. Ela é realizada através apenas de uma punção arterial na região da virilha ou braço.

Entre outros benefícios, previne a ocorrência de isquemia cerebral (AVC ou derrame).

Para realizar o procedimento, um cateter é colocado dentro da artéria, introduzido através da virilha ou braço, para abrir espaço e facilitar o fluxo sanguíneo.

Este processo permite que a artéria carótida tratada volte ter seu fluxo sanguíneo regular, possibilitando que o cérebro receba adequadamente a oxigenação e nutrientes.




 
TEMPO DE INTERVENÇÃO

2 horas.

HOSPITALIZAÇÃO

48 horas.

EFEITOS

Imediatos.

ANESTESIA

Local.

RECUPERAÇÃO

1 semana..

RESULTADOS

Duradouros.

Ainda tem dúvidas?

Envie suas perguntas para o Dr. Luiz Otavio

Nome E-mail Telefone Observações

Como diagnosticar

Quando assintomática, a doença geralmente é descoberta por exames de imagem solicitados como “check up” com seu cirurgião vascular.

São utilizados o exame físico, o ultrassom doppler, a angio tomografia computadorizada, a angio ressonância magnética, e raramente, a arteriografia.

Nos pacientes assintomáticos o acúmulo de placas não bloqueia o fluxo sanguíneo o suficiente para causar um acidente vascular cerebral ou um ataque isquêmico transitório, que são as principais manifestações da doença carotídea aterosclerótica.

Quando existe estreitamento na artéria impedindo a passagem de fluxo normal de sangue, esta estenose pode causar derrame (acidente vascular cerebral isquêmico ou acidente vascular cerebral isquêmico transitório) de qualquer intensidade causando a necessidade da angioplastia com implante de stent.

 

Tratamento

A indicação da angioplastia tem o objetivo de prevenir a ocorrência ou a recorrência de um acidente vascular cerebral ou um ataque isquêmico transitório.

Nos pacientes com alto risco de AVC apesar do tratamento clínico otimizado que inclui: medicações para o colesterol, medicações que afinam o sangue conhecidas como antiagregante plaquetários, medicações para controlar a pressão arterial, cessação do tabagismo, prática de exercício físico.

Para sua realização, o cirurgião faz uma pequena punção na região inguinal do paciente para inserir um cateter que será direcionado até o local da artéria estenosada.

Através do cateter, levamos um pequeno dispositivo de proteção cerebral que é liberado temporariamente dentro da carótida para evitar que subam pequenos fragmentos de placas ou coágulos durante o procedimento.

Ao chegar na lesão da artéria, o profissional utiliza o balão de angioplastia, também levado por dentro do cateter, realizando a angioplastia. Em seguida, coloca um stent – espécie de rede metálica – na parede da artéria para mantê-la aberta e permitir a correta passagem de sangue na região. Dessa forma, evita-se o risco de graves complicações, como o AVC.

Ao final da cirurgia, o cateter é retirado e o cirurgião realiza a oclusão do local onde foi feita a punção, apenas com compressão. O procedimento dura, em média, 90 minutos e pode ser realizado sob anestesia geral ou local, dependendo da recomendação médica.

PERGUNTAS FREQUENTES

Dúvidas sobre Angioplastia de Carótida

Como tratar placas na Carótida?
Cirurgia – O cirurgião vascular pode fazer uma cirurgia para remover a placa de gordura que causa o estreitamento da artéria carótida. Esta cirurgia é chamada “endarterectomia de carótida”. Este tratamento é apropriado para as pessoas que têm placas muito grandes e que causam muito estreitamento nas artérias carótidas.
Como são os cuidados pós-procedimento?
Após o procedimento, o local onde foi feita a punção será comprimido por aproximadamente dez minutos e uma faixa será colocada ao redor de toda a perna na altura da virilha, evitando que o paciente tenha sangramento pelo local da punção, ficando 24 horas com a faixa após o procedimento, chamado de curativo compressivo. Consulte seu médico sobre o uso de seladores hemostáticos que reduzem o tempo de uso da faixa, dando mais conforto.
Como funciona uma angioplastia de carótida?
O procedimento da angioplastia é realizado com imagens radiológicas, na mesma sala cirúrgica onde são realizadas as angiografias de carótidas diagnósticas. É feita uma punção na pele para a realização do procedimento que pode ser localizada na região da virilha. Um fino cateter balão com um stent montado nele, é introduzido na artéria carótida por meio da punção no braço ou virilha. O stent é uma estrutura tubular metálica flexível e expansível. Após o posicionamento do stent no local da obstrução, o balão é inflado e o stent expandido, o qual fica aberto impactado na parede da artéria, esmagando a placa de gordura. Para evitar que pequenas placas migrem para o cérebro, um filtro é posicionado acima da lesão. Ele tem o formato de um guarda-chuva com micros furos e evita que placas se desprendam enquanto o stent é expandido.
Quando é indicada a angioplastia de carótida?
Quando se comprova pelo exame diagnóstico ( ultrassom doppler, a angio tomografia computadorizada, a angio ressonância magnética, e raramente, a arteriografia ) que existe estreitamento na artéria , de pelo menos 70%, impedindo a passagem de fluxo normal de sangue para o cérebro. Esta estenose ou estreitamento pode causar derrame (acidente vascular cerebral isquêmico ou acidente vascular cerebral isquêmico transitório). O tratamento da doença de carótida é muito importante para evitar ou reduzir as chances de ocorrência ou repetição destes problemas vasculares.
Como saber se preciso de uma angioplastia de carótida?
A doença geralmente é assintomática, por isso é descoberta na grande maioria das vezes através do check up de rotina, com o cirurgião vascular.
Quais são os riscos?
Os riscos do procedimento são pequenos, porém algumas complicações podem acontecer: Hematomas, sangramentos, vaso espasmo, acidente vascular cerebral isquêmico estão entre as intercorrências possíveis do procedimento de desobstrução das artérias.
VEJA TAMBÉM

Outros procedimentos

Embolização de Próstata

A hiperplasia prostática benigna, conhecida como HPB é um tipo o tumor benigno mais frequente na população masculina. A doença é de alta prevalência e acomete homens a partir dos 50 anos.

VER PROCEDIMENTO TIRE SUAS DÚVIDAS
Embolização de Hemangioma

Um hemangioma se caracteriza por um acúmulo anormal de vasos sanguíneos na pele ou nos órgãos internos que pode ocorrer em qualquer parte do corpo. Ele geralmente leva ao aparecimento de uma área inchada e com uma mancha avermelhada ou arroxeada, que variam bastante em tamanho, forma e cor.

VER PROCEDIMENTO TIRE SUAS DÚVIDAS
Embolização de malformação arteriovenosa

A malformação arteriovenosa (MAV) é basicamente uma conexão anormal entre artérias e veias. As MAVs não apresentam sintomas específicos e por isso são descobertas por acaso.

VER PROCEDIMENTO TIRE SUAS DÚVIDAS