Sobre o Procedimento


Do que se trata

O mioma (ou leiomioma) é um tumor benigno que se forma a partir do músculo que reveste a parede do útero, chamado miométrio. Acomete aproximadamente 20 a 25% das mulheres, sendo mais frequente em negras, com histórico familiar da doença e sem filhos.

Os miomas surgem e crescem dependendo dos hormônios femininos, que são produzidos durante o período fértil; por este motivo, o mais comum é que eles apareçam durante a vida adulta, entre a primeira menstruação e a menopausa.

Raramente são únicos, e podem apresentar-se com tamanhos variáveis e em qualquer porção do útero.

Ainda não se sabe ao certo qual ou quais as causas do mioma, mas acredita-se que fatores genéticos e ação do estrogênio estejam relacionados. 

Os miomas não são tumores malignos. 


 
TEMPO DE INTERNAÇÃO

30 minutos a 2 horas

HOSPITALIZAÇÃO

24 horas

EFEITOS

3 meses a 1 ano

ANESTESIA

Peridural ou Raquidiana

RECUPERAÇÃO

Cerca de 10 dias

RESULTADOS

Duradouros

Ainda tem dúvidas?

Envie suas perguntas para o Dr. Luiz Otavio

Nome E-mail Telefone Observações

 

Como diagnosticar

A melhor forma de saber é realizando exames ginecológicos preventivos, pelo menos, uma vez por ano. Assim, qualquer anomalia pode ser detectada de forma precoce.

Mas, entre uma prevenção e outra, você pode sentir alguns sintomas ou apresentar alguns sinais como:

•    Sangramento vaginal exagerado com presença de coágulos;
•    Constipação intestinal;
•    Incontinência urinária;
•    Cólicas menstruais;
•    Dor pélvica.

Em muitos casos, os miomas não apresentam nenhum sintoma, o que pode levar ao diagnostico tardio, dificultando o tratamento e, muitas vezes, agravando o caso, impedindo a mulher de engravidar.


Tratamento

Basicamente, o mecanismo da embolização de mioma uterino é bem simples de ser compreendido. O médico especialista consegue reduzir o fluxo sanguíneo que alimenta o mioma fazendo com que ele diminua naturalmente. 

O que muitas mulheres não sabem é que hoje é perfeitamente possível fazer o mioma regredir com técnicas menos invasivas. 
 

 
 
PERGUNTAS FREQUENTES

Dúvidas sobre Embolização de Mioma

Esse procedimento é seguro?
Por ser ainda um procedimento pouco conhecido entre as pessoas, muita gente fica em dúvida sobre o assunto e não sabe se é algo seguro ou não. A embolização uterina é uma intervenção totalmente segura. Eficiente, apresenta resultados excelentes e oferece uma quantidade muito menor de riscos à saúde em comparação à cirurgia invasivas, muito frequentes no passado. O procedimento pode causar dores leves ou algum desconforto, mas isso pode ser resolvido por meio do uso de medicamentos como anti-inflamatórios e analgésicos.
Quanto tempo vou precisar ficar internada?
Como se trata de uma técnica minimamente invasiva, a paciente só precisa ficar interna de 12 a 24 horas após o procedimento. Já no dia seguinte, é possível caminhar normalmente, mas é recomendado que fique sem dirigir por, pelo menos 1 dia e sem praticar atividades físicas por 7 dias.
Pode ser aplicada em mulheres que ainda desejam engravidar?
Em alguns casos é possível utilizar a técnica de embolização uterina e manter o útero para uma futura gestação. Por exemplo, se você tiver múltiplos nódulos e que não possam ser removidos cirurgicamente sem o risco de perder o útero, a embolização é a técnica mais indicada.
É ideal para quem não quer mais ter filhos?
A situação ideal para aplicar a técnica é justamente essa: uma mulher que não quer mais ter filhos, mas está com mioma e sangramentos constantes por conta disso. Com a embolização é possível eliminar os sinais e sintomas da condição sem precisar fazer uma histerectomia, ou seja, a remoção do útero.
Quais as vantagens de fazer essa técnica de embolização de mioma?
Além do fato de ser uma técnica minimamente invasiva, a embolização uterina consegue oferecer diversos outros benefícios. Vejamos quais são eles.
Quando o mioma é perigoso?
Muitas mulheres se assustam quando recebem o diagnóstico de mioma no útero por acharem que se trata de um câncer. Mas não há razão para pânico: miomas não se transformam em tumores malignos e não aumentam o risco de ter câncer de colo do útero, o que significa que não representam uma ameaça grave à saúde.
A embolização pode provocar alterações hormonais?
A maioria das pacientes que realizam o procedimento voltam a ter a sua menstruação normal, com redução do sangramento, quando este é exagerado no pré operatório. Cerca de 10% das pacientes experimentam ciclos irregulares, até 6 meses após o procedimento, com a regularização completa, acontecendo de acordo com o passar dos meses.
De que tamanho ficam os miomas e o útero após a embolização?
A experiência clínica e de estudos demostram que a embolização produz uma redução do tamanho uterino de aproximadamente 50% nas primeiras 12-24 semanas e esta diminuição continua durante o primeiro ano após o procedimento. Já a redução de tamanho dos nódulos é bastante variável. Ela acontece de modo diferente, no que se refere ao tamanho. Os nódulos que apresentam um tamanho maior em alguns casos desaparecem por completo. Todavia o mais comum é observar uma redução de aproximadamente 65% durante os três primeiros meses após a embolização.
VEJA TAMBÉM

Outros procedimentos

Embolização de Próstata

A hiperplasia prostática benigna, conhecida como HPB é um tipo o tumor benigno mais frequente na população masculina. A doença é de alta prevalência e acomete homens a partir dos 50 anos.

VER PROCEDIMENTO TIRE SUAS DÚVIDAS
Embolização de Hemangioma

Um hemangioma se caracteriza por um acúmulo anormal de vasos sanguíneos na pele ou nos órgãos internos que pode ocorrer em qualquer parte do corpo. Ele geralmente leva ao aparecimento de uma área inchada e com uma mancha avermelhada ou arroxeada, que variam bastante em tamanho, forma e cor.

VER PROCEDIMENTO TIRE SUAS DÚVIDAS
Embolização de malformação arteriovenosa

A malformação arteriovenosa (MAV) é basicamente uma conexão anormal entre artérias e veias. As MAVs não apresentam sintomas específicos e por isso são descobertas por acaso.

VER PROCEDIMENTO TIRE SUAS DÚVIDAS