Sobre o Procedimento

A Quimioembolização Hepática é uma técnica minimamente invasiva de tratar tumores no fígado, levando medicamentos quimioterápicos diretamente ao tumor e ocluindo a chegada de nutrição ao local. O procedimento é realizado por meio de cateterismo, e este consiste em uma punção na região da virilha, com anestesia local, evitando-se cortes. 

Sobre o Procedimento 

A Quimioembolizacão Hepática é uma técnica minimamente invasiva que pode ser aplicada, quando indicada, no tratamento dos hepatocarcinoma e metástases hepáticas de tumores originários no intestino grosso. 

O hepatocarcinoma é um tumor maligno que acomete o fígado, órgão essencial para o funcionamento do organismo.
O médico administra quimioterapia diretamente sobre os nódulos hepáticos, associada ao fechamento do vaso sanguíneo que nutre os nódulos. É uma forma de quimioterapia local, sem os efeitos colaterais que ocorrem quando a quimioterapia é administrada por via sistêmica.

O médico introduz um cateter pela virilha que vai até o fígado. Por este cateter, é administrado o quimioterápico e as partículas que farão a oclusão do vaso. Após o término do procedimento, o cateter é retirado e é feito um curativo, sem necessidade de pontos na pele. O procedimento é feito apenas com anestesia local.
 
TEMPO DE INTERNAÇÃO

Ainda tem dúvidas?

Envie suas perguntas para o Dr. Luiz Otavio

Nome E-mail Telefone Observações

Como diagnosticar:
 

No fígado, é injetado contraste, que por imagens de raios-x  digital é possível identificar os vasos que nutrem o tumor.

Após essa identificação dos vasos que nutrem o tumor, um micro cateter é levado por dentro do cateter inicial, para navegar dentro de vasos sanguíneos ainda menores, dentro do fígado, chegando mais próximo ao tumor.

Após o posicionamento correto do micro-cateter dentro dos vasos tumorais, são injetadas micropartículas carregadas de quimioterápico.
 



Tratamento:

No fígado, é injetado contraste, que por raios-x, que conseguem identificar os vasos que nutrem o tumor.

Após essa identificação dos vasos tumorais, um microcateter é passado por dentro do cateter, para navegar dentro de vasos sanguíneos ainda menores, alcançando assim mais proximidade do tumor.

Após a posicionamento correto dentro dos vasos tumorais, são injetadas micropartículas carregadas de quimioterápico.
 
PERGUNTAS FREQUENTES

Dúvidas sobre Quimioembolização Hepática

O procedimento é doloroso?
O procedimento não é doloroso, porém alguns pacientes podem apresentar desconforto abdominal e náuseas, dependendo do tamanho e do número de tumores tratados em uma sessão. Dores mais intensas são controladas com analgésicos.
Quais tipos de tumores hepáticos tratados com a quimioembolização?
O procedimento é indicado principalmente para os hepatocarcinomas (tumores primários do fígado), e alguns tipos de metástase de tumores intestinais.
VEJA TAMBÉM

Outros procedimentos

Embolização de Próstata

A hiperplasia prostática benigna, conhecida como HPB é um tipo o tumor benigno mais frequente na população masculina. A doença é de alta prevalência e acomete homens a partir dos 50 anos.

VER PROCEDIMENTO TIRE SUAS DÚVIDAS
Embolização de Hemangioma

Um hemangioma se caracteriza por um acúmulo anormal de vasos sanguíneos na pele ou nos órgãos internos que pode ocorrer em qualquer parte do corpo. Ele geralmente leva ao aparecimento de uma área inchada e com uma mancha avermelhada ou arroxeada, que variam bastante em tamanho, forma e cor.

VER PROCEDIMENTO TIRE SUAS DÚVIDAS
Embolização de malformação arteriovenosa

A malformação arteriovenosa (MAV) é basicamente uma conexão anormal entre artérias e veias. As MAVs não apresentam sintomas específicos e por isso são descobertas por acaso.

VER PROCEDIMENTO TIRE SUAS DÚVIDAS